Ao longo do trecho de 180 quilômetros percorridos no Rio São Francisco, entre Três Marias e Pirapora, foram coletadas amostras de água nos seguintes pontos: em Três Marias (a jusante da Represa da Usina Hidroelétrica), foz do Rio Abaeté (São Gonçalo do Abaeté), foz do Rio de Janeiro (Lassance), foz do Córrego Formoso (Buritizeiro), e em Pirapora.

Analisaram-se os seguintes parâmetros: turbidez, pH, condutividade elétrica, cromo, cobre, alumínio, ferro, manganês, amônia, nitrito, nitrato, oxigênio dissolvido, fósforo e zinco.

A qualidade das águas foi avaliada comparando-se os resultados obtidos com os valores permitidos recomendados pela Resolução CONAMA 357 de 17 de março de 2005, esta norma trata da classificação dos corpos de água, dentre estes os rios, e diretrizes ambientais para seu enquadramento.

RESULTADOS

Cobre, ferro e manganês foram os parâmetros analisados que estavam acima do estabelecido pela Resolução CONAMA 357/2005.

Estes possuem fontes diversas, podendo ser de origem natural, como intemperismo de rochas e erosão de solos ricos nestes materiais ou de origem artificial, antrópica, através de efluentes industriais, atividades de mineração e agrícola que se utiliza de diversos tipos de fertilizantes e defensivos. A presença destes elementos está diretamente ligada às características geológicas e ecológicas das bacias de drenagem e, ainda, ao tipo de atividade humana nelas presentes. Analises realizadas em anos anteriores também demonstraram concentrações destes elementos de forma semelhante ao observado este ano, porém somente com a continuidade deste monitoramento teremos certeza de qual fonte mais contribui com estes metais.

Em 2006, durante a expedição, foi constatado um valor mais elevado de turbidez nos principais afluentes do rio São Francisco, rio Abaeté e rio de Janeiro, pois no período de coleta ocorreu uma chuva que carreou para o rio argila, areia e outros materiais que causaram o aumento da turbidez. Este ano, não chuveu durante a expedição, e observou-se que a turbidez destes tributários estava menor que do ano anterior, melhorando a qualidade de suas águas.

É importante observar que nas concentrações encontradas estes não causam mal à saúde. Todas as demais analises estavam dentro do estabelecido pela Resolução CONAMA 357/2005.

As águas do Rio São Francisco estão perdendo espaço para a areia, o processo de assoreamento foi visível e está provocando o aumento do número de ilhas e o aparecimento de diversos trechos de praia, em lugares que há um ano predominavam a mata ciliar. Na região próxima à barra do Rio de Janeiro, duas ilhas que ficavam no meio do rio, tiveram suas laterais suprimidas e agora são extensão de uma fazenda. O trecho de aproximadamente 200 metros foi inteiramente coberto por areia, os impactos deste assoreamento para o São Francisco podem ser: menor profundidade do rio, dificuldades para a captação de água nas cidades ribeirinhas e alteração do habitat onde vivem diversas espécies de animais, principalmente peixes